Como anular a auto sabotagem com a EFT

Quando não queremos nos curar

Podemos ter a melhor das boas intenções, querendo resolver o problema e até fazendo de tudo para dar certo. E o que nos segura, então?

Existe em nosso inconsciente uma zona de seguranca e por mais ilógico que seja, talvez nosso inconsciente ache melhor não fazer algo por temer algum perigo. Por exemplo, se ficamos tensos, talvez possamos saber a maneira de relaxar, resolvendo o problema que nos causou a tensão. No entanto, o inconsciente já sabe que em todos os momentos de tensão, é melhor a pessoa se recolher e ficar “a salvo”. Não há lógica para isso, mas é assim que nosso inconsciente tenta nos defender.

Freamos o nosso avanço ou bloqueamos a nossa cura, simplesmente porque não queremos nos arriscar fora da “zona de conforto”. Em poucas palavras, nós agimos como se fossemos nossos piores inimigos, criando a auto-sabotagem.

Se essa auto-sabotagem, ou reversão psicológica, não for reconhecida ou tratada, ela vai impedir o processo da EFT. De modo geral,a auto-sabotagem atua em três áreas:

. Benefício secundário

. Sentimentos negativos

. Crenças negativas

1. A síndrome do Benefício Secundário (SBS)

Esse é o caso mais comum de reversão. Ela ocorre quando o inconsciente percebe que é melhor ou mais seguro se prender a um problema do que se livrar dele. Para quem carrega em si há algum tempo trauma, dores crônicas, fobias ou vícios, por exemplo, essa emoção Passa a fazer parte de sua personalidade e até mesmo de sua identidade. Superar ou perder essa “identidade” pode ser uma ameaça muito grande para o subconsciente, que não é racional.

Por exemplo, o subconsciente pode pensar: “se eu superar esse problema,…”

“.. .não terei mais essa desculpa para minha vida não dar certo.”

“…talvez eu não saberei mais quem eu sou.”

“…talvez não seja seguro eu me livrar disso.”

„…não saberei mais como agir normalmente, sem me sentir vítima.”

“…não ganharei mais a atenção e carinho que recebo agora.”

Portanto, devemos sempre fazer a seguinte pergunta para nós mesmos:

Que benefícios estou recebendo com esse problema?

ou

Que irei perder se resolver esse problema?

2. Sentimentos negativos

Sentimentos como frustração, mágoa, raiva, culpa, tristeza, etc. fatalmente serão causas para a auto-sabotagem. Não adianta tratar um “problema” com a EFT se ainda existem tais sentimentos. O ideal é identificar quais sentimentos negativos são proeminentes e tratá-los um a um.

3. Crenças Negativas e limitantes

As crenças limitantes podem ser bastante nocivas à nossa vida. E o pior, na maioria das vezes elas nos são invisíveis, controlando pensamentos e comportamentos a ponto de impedirem muitos passos que queremos dar.

E de onde surgiram essas crenças? Muitas vêm ainda da infância, muitas são adquiridas ao longo da vida. Elas podem ser identificadas ao tentar completar frases como:

“eu não consigo fazer isso porque… ”

ou

“eu não posso ter isso porque…”

O que vem a seguir é sempre uma crença limitante. Os exemplos podem ser os mais variados possíveis, como, sou muito velho para isso, não sou inteligente o bastante, não tenho tamanha experiência, não tive boa educação, sou uma mulher e por isso…, sou um homem e por isso…, não consigo acordar cedo de manhã, sou muito gordo, não consigo ganhar dinheiro, estou sempre doente, etc., etc., etc.

Para maiores detalhes sobre a auto-sabotagem, ou reversão psicológica, leia o manual.

Comentários