Estudo oferece evidências que a EFT altera a expressão genética

 

O que você diria se eu lhe dissesse que pesquisas estão provando que a EFT afeta o que seus genes pedem para seu cérebro e corpo fazer enquanto você aplica a EFT? Isso seria impressionante, não é? Bem, adivinhem …

Um novo estudo recentemente realizado por Maharaj na Universidade Akamai foi publicado na revista Energy Psychology Theory, mostrando alteração na expressão dos genes imediatamente após uma aplicação de 50 minutos de EFT.

Em poucas palavras, 4 indivíduos receberam uma sessão de 50 minutos de EFT. Foi feito um teste de genoma ARNm por um novo método de teste de saliva e realizado imediatamente antes, imediatamente depois, quatro horas depois e 24 horas depois da EFT. Os resultados mostraram que 72 genes se expressaram de maneira diferente imediatamente após a EFT e 25 continuaram a mudar 24 horas mais tarde. Aqui é apenas uma amostra das funções dos genes alterados:

Inflamação e imunidade (atividade anti-viral)
Regulação da resposta ao estresse
supressão tumoral
Reforço da conectividade sináptica
Fertilidade masculina
prevenção de danos UV
Regulação da insulina

Enquanto que seria inadequado afirmar categoricamente que a EFT melhora todas estas funções, este estudo é um primeiro passo nessa direção.

Para simplificar a ideia de epigenética, aqui vai uma explicação precisa, mas fácil de digerir. Cada pessoa tem um conjunto de genes adquiridos pelos pais biológicos. Estes genes, e todo o nosso genoma (nossa biblioteca genética completa), são como um conjunto de projetos que determinam tudo, desde a cor dos nossos olhos e cabelo até a criação de proteínas que estão envolvidas em todos os aspectos da nossa fisiologia, desde os hormônios até as enzimas digestivas, ou até nossas células do sistema imunológico e muito mais. Mas, como qualquer pessoa que já tenha reformado uma casa sabe, as plantas do projeto e os resultados finais podem diferir significativamente dependendo da percepção que ocorre durante o processo de construção (ou vida).

A expressão de muitos dos nossos genes estão continuamente em fluxo mutante, dependendo do que é necessário para nós, (ou percebida a ser necessário) a qualquer momento.
Por exemplo, os genes de inflamação ou de suporte imunológico ou o hormônio do estresse (adrenalina e cortisol) podem ser regulados quando o corpo sente que está sob ataque. Quando o corpo entra no que se chama luta ou fuga, ele se transforma na sua resposta ao estresse, sinalizando o eixo HPA para ir em alta velocidade, aumentando a produção imediata de hormônios do estresse para preparar o corpo para o modo de sobrevivência contra alguma ameaça externa.

Os campos da neurociência e psicologia têm demonstrado que, quando vivemos experiências adversas ou traumáticos, então somos mais prováveis em sermos provocados por pensamentos e sentimentos associados a eventos semelhantes. Estas circunstâncias desencadeiam as áreas de estímulo visual, auditiva, cinestésica, olfativa e gustativa, quando ficamos mais estressados.
Então, se a EFT, como demonstrado nesse estudo, pode reduzir nossa resposta ao estresse e induzir mudanças epigenéticas que estimulam a reparação neural, aumentam a resposta imunológica, melhoram a memória e aprendizagem, então temos uma explicação impressionante porque a EFT é uma poderosa metodologia de cura.

Para detalhes mais específicos, incluindo o abstrato do estudo, em inglês, veja nesse LINK (em inglês).

 

Autor: Craig Weiner, DC

 

Comentários