Você já se imaginou ser sempre do bem e poder valorizar e apreciar a vida? Isso é resultado de uma autoestima forte.

Pois é, isso tudo seria bom demais para ser verdade, não é? O que acontece é que muitas vezes nós nos deparamos com momentos meio depressivos e quando nos damos conta, achamos a vida sem sentido.

E se eu lhe dissesse que ter confiança e autoestima elevadas é algo possível de se alcançar, e isso é até muito mais fácil do que se imagina?

Afinal, autoestima é uma qualidade que se cria. Com certeza ela é fruto de circunstâncias do passado. Como eu costumo dizer, são as pauladas que levamos na vida.

Mas a gente pode mudar nossa vida. O dilema é que muitas vezes nos sentimos sem força, meio paralisados, sem acreditar no potencial.

E o quanto a gente perde com isso? Pode apostar que muito. Muitas oportunidades vão-se embora, muito dinheiro desperdiçado, muito tempo perdido…

É aquela história: em momentos que você tem que tomar uma decisão, você não faz nada.

Tem que apresentar um projeto no trabalho e protela. Tem que falar em público, mas tem medo.

Todos esses bloqueios são frutos de questões emocionais mal resolvidas. Se a sua autoestima é fraca, você pouco consegue acreditar em si.

Se a causa de uma autoestima fraca está nas sequelas emocionais, então é certo que temos que ir lá no passado, escavar um pouco e poder resolver isso.

Pouca gente nasce com o dom da autoestima, mas é como no esporte, se você treina, você consegue. Eu uso sempre a técnica da EFT para isso. Ela trabalha corpo e mente juntos, rompendo esses bloqueios do inconsciente.

A gente só tem a ganhar quando resolve mudar e melhorar a autoestima.

Mas você já parou pra pensar o porquê da causa de uma autoestima fraca? Eu citei há pouco as pauladas da vida e os tais bloqueios por questões emocionais mal resolvidas.

E, infelizmente, essas são as causas, não só da autoestima baixa como também da timidez, da insegurança e até de doença sérias como depressão, vícios e doenças autoimunes.

E o que podem ter sido essas pauladas na vida?

Lógico que há situações fortes, geralmente de infância, que influenciam demais, como ter tido pais muito repressores (por melhor intenção que eles possam ter tido) e como ter sido vítima de bullying e abusos mais violentos.

Mas também, certas situações que para quem está de fora, ou mesmo para você agora, adulto, parecem racionalmente irrelevantes, mas que talvez para você quando criança foi algo muito ameaçador.

E essas lembranças de ameaças ficam impregnadas em nosso inconsciente, criando sempre aquela sensação de pavor e insegurança, prato cheio para uma autoestima baixa.

A parte mais primitiva de nosso cérebro vem ainda da época que nossos ancestrais tinham que sair à caça. Ao se confrontarem com um perigo, era ou lutar ou fugir, caso contrário seria se congelar e morrer.

Essa parte mais primitiva é que comanda nossa sensação de medo, produzindo os hormônios do estresse, como adrenalina e cortisol, para nos defender desses ataques. Só que, se algo acontece a nós em nosso dia a dia, que sutilmente nos remete à lembrança inconsciente desses “ataques” ocorridos na infância, nosso cérebro imediatamente emite sinal de perigo e se congela. E é por isso que nos achamos bloqueados, sem forças, o pior dos piores.

A solução seria reprogramar esse cérebro, ou como se diz no jargão mais atual, rebobinar os veios neurais, tirando aquele peso emocional mal resolvido e instalando no lugar um sentimento de paz e segurança, para poder se afirmar na vida.

Esse processo, como se dá , tem muito a ver com a física quântica, que estuda a possibilidade de uma mudança repentina de comportamento. O mundo ao seu redor se transforma à maneira como você o observa.

Sem entrar nos detalhes de como isso se processa, eu quero dar a boa notícia que nos últimos anos foram desenvolvidas várias técnicas energética que atuam nos bloqueios do corpo e da mente, criando essa cura quântica tão necessária. Eu me especializei no uso da técnica da EFT para isso.

Tenho trabalhado com milhares de pacientes que me procuram para alívio de seus males, e inevitavelmente chegamos sempre ao cerne da questão, que é a autoimagem, ou melhor, como eles se veem no mundo. É como se eles andassem por aí com uma frase escrita na testa, frases como eu não sou bom, tenho medo, sou tímido, etc.

Com o uso da EFT nós vamos a essas lembranças passadas, mesmo àquelas que ainda estão no nível inconsciente, e a rebobinamos. O resultado é impressionante…

Para um trabalho mais profundo e uma mudança de paradigma completa, eu recomendo conhecer melhor a EFT. Você pode baixar um manual gratuito AQUI. Ou então, fazer um curso completo da técnica.

Convido, também, a me seguir nesse exercício do vídeo abaixo. É um exercício mais geral, com mensagens de autoestima. Mesmo que ele não consiga ir à raiz do problema, já é um grande passo para a mudança. Afinal, um longo caminho se faz através de pequenos passos.

eu-quero-fazer-o-teste-gratis-de-autoestimax2

Comentários