Estamos sempre à busca de uma cura, ou melhor, solução, a algum problema que nos aflige.

Quando ouvimos a palavra “cura” automaticamente a relacionamos com algum problema de saúde ou doença. Mas aqui eu me refiro a essa palavra em um sentido mais amplo. Seria como uma “solução” aos nossos problemas, não importa em que área da vida.

Existem  três áreas básica que compõem nossa vida: 1) a área da saúde e tudo o que se refere a ela no campo físico, mental e espiritual. 2) a área dos relacionamentos, seja um relacionamento amoroso, um relacionamento social, ou com o mundo ou, principalmente, com a gente mesmo. 3) a área do dinheiro, que além de ser a moeda de intercâmbio, o dinheiro é a energia que nos mantém em conforto e nos nutre.

De acordo com a EFT, que tem suas raízes na Medicina Tradicional Chinesa, quando há um problema em alguma dessas áreas, é sinal de que há um desequilíbrio nas energias do corpo. E isso pode ser no nível físico, mental ou emocional.

E a causa desse desequilíbrio é sempre o nosso conceito de como vemos certa situação. Um exemplo simples seria o de duas pessoas em um mesmo engarrafamento. A situação é a mesma, mas uma pessoa poderá ter um ataque de nervos enquanto que a outra sabe que não tem jeito mesmo, então reage de maneira tranquila.

Nosso primeiro e grande erro quando buscamos a cura é a reação básica de culpar algo ou algum agente externo como causa do problema. No exemplo acima, você poderia por a culpa no engarrafamento. E assim a lista segue: se temos um problema de saúde culpamos um vírus, por exemplo, se for um problema de relacionamento culpamos esta ou aquela pessoa. Se for falta de dinheiro, culpamos a crise, e assim por diante.

Sem dúvida todos esses fatores externos podem ter enorme relevância, e até serem de fato a causa. Mas o caminho da cura começa somente quando nos responsabilizamos e entendemos que “esse problema veio a mim e eu o alimentei e agora eu também sou responsável em resolvê-lo.”

Nesse caminho de nossa autocura, podemos e devemos receber auxílio de outros, seja de um ente querido, seja de um médico ou de um remédio, por exemplo.

Mas a cura só irá acontecer quando tomarmos as rédeas da situação e entendermos que temos, por dentro, o poder de nos curar e resolver problemas. Chega de nos colocarmos como vítimas e também chega de nos culparmos. Se há um problema é porque no fundo o nosso inconsciente está tentando nos proteger de um problema que ele considera ainda maior.

Está na hora de encararmos a questão para resolvermos o problema.

E é nessa hora que encaramos um certo medo. É o medo da dúvida (como eu vou resolver isso?) e pode ser também o medo de se achar sozinho nessa caminhada.

O tema é bastante amplo e sabemos que não podemos nos curar se não formos bem específicos no que queremos tratar. É assim na EFT (acupuntura emocional) como também em qualquer outro processo que se proponha a trazer a cura.

Apesar da necessidade em sermos específicos, o começo do caminho pode ser igual: encarar essa questão de sermos responsáveis pela nossa própria cura. Como isso repercute em você?

O exercício de EFT que eu mostro nesse vídeo (veja o link) tem a intenção de ser o primeiro passo no caminho da cura: nos preparar emocionalmente para encararmos esse caminho por nossa própria conta.

Convido você a fazer esse exercício junto comigo. Vamos lá?

 

 

 

 

Comentários