Como resolver doenças crônicas com a EFT

Quando sofremos de algum mal crônico, é necessário um pouco mais de paciência e persistência. Isso mesmo com a EFT, que de modo geral é um processo bem rápido em vários outros casos.

Pode ser que haja alguns sintomas externos, que poderemos identificar, tal como uma dor cervical crônica ou alguma alergia. Assim, a aplicação da EFT deve ser dirigida primeiramente a esses sintomas externos. No entanto, em muitos casos será mais difícil ter um sintoma externo. É o caso de sentimentos mais sutis como tristeza ou depressão crônicas.

O procedimento é sempre fazer a EFT com o que se está sentindo, e daí ir mais adiante e ver se alguma nova porta se abre. De qualquer maneira, tudo o que fizermos com a EFT será benéfico e, mesmo que demore algum tempo, o resultado trará sempre um equilíbrio do sistema energético do corpo.

Será necessário disciplina para aplicar a EFT pelo menos umas três a quatro vezes por dia. Principalmente em casos como diabete, alergias, fadiga crônica ou depressão é necessário bastante persistência. Mas o resultado poderá ser bastante compensador.

Geralmente, quem sofre de doença crônica tem uma personalidade bastante exigente. Essas pessoas cobram muito de si mesmas e são muito auto-críticas, buscando sempre a perfeição em tudo o que fazem. Também, é difícil elas conseguirem dizer não para os outros, e por isso suas vidas são sempre sobrecarregadas e estão sempre no limite.

Isso já é uma dica para se trabalhar com a EFT. Enquanto formos muito exigentes de nós mesmos, dificilmente iremos nos aceitar como somos (com os defeitos e doenças de costume). Portanto, antes de trabalhar na doença crônica em si, trabalhe nessa rigidez e aceitação própria.

Em seguida, talvez o item mais importante para o tratamento de doenças crônicas é perguntar a nós mesmos: se houvesse algum sentimento relacionado à doença, o que seria? É provável que a resposta venha facilmente. Se conseguirmos descobrir o sentimento ou emoção certa, o resultado da EFT será muito mais rápido.

Outro item bastante importante também é nos perguntar se há alguma lembrança de quando começou a doença. E se nessa época houve algum caso traumático ou mudança grande em nossa vida. Ou simplesmente tentar se lembrar se nessa época passávamos por uma fase muito estressante, fosse na vida particular, familiar ou mesmo no trabalho.

É impressionante ver como de modo geral vamos ter a resposta certa. Muitas vezes não fazemos a conexão entre o que se passava na época com o inicio da doença. Mas no momento que conseguimos fazer essa conexão, o sucesso com a EFT está bem próximo.

Esses eventos exercem um papel muito estressante em nossas vidas. E como iremos responder a eles é que vai causar as doenças em nosso corpo ou não.

Uma vez identificado uma possível causa ou evento causador, então devemos tratar com a EFT para cada emoção negativa ou memória traumática que ainda mantemos em relação a isso. Uma vez que isso esteja mais leve, o corpo funcionará de maneira melhor e a recuperação da doença crônica pode ser surpreendentemente rápida. Não se pode esquecer que pode haver muitas camadas de sentimentos e eventos envolvidos no mesmo problema. Por isso, paciência. Pode durar um certo tempo para acabar com todas as camadas.

É possível, também, que possamos estar nos boicotando e, no inconsciente, queremos nos manter doentes. Assim, uma recuperação é muito difícil. Por alguma razão o inconsciente decide se acomodar em uma zona de conforto, onde não teremos que encarar uma nova vida saudável. Isso pode ser uma insegurança ou medo de recuperar a saúde, depois de ter ficado tanto tempo doente. É possível ter o medo de, depois de estar saudável, voltar a ter a doença novamente. Ou então uma vez saudável, ter que encarar certas responsabilidades e desafios que como doente não é exigido.

É necessário, também, um tratamento especial para esse auto-boicote, ou auto-sabotagem. Tente identificar o que pode estar atrapalhando a sua recuperação. Fique atento(a) a frases como é, mas.. Elas sempre terminam com uma desculpa, que não deixa de ser a auto-sabotagem. Também, outra maneira para identificá-la é perguntar: qual seria a vantagem de eu continuar com essa doença?

Uma vez identificada essa desculpa, devemos usá-la como tema para o trabalho com a EFT. Enquanto houver auto-sabotagem, dificilmente teremos alívio ou progresso em nossa saúde.

Quando conseguimos identificar todas essas camadas de sentimentos e assim aplicamos a EFT para cada uma delas, neutralizando-as, o corpo então estará livre para se curar. E os sintomas físicos como problemas digestivos, dores crônicas, fadiga, perturbações do sono ou qualquer outro sintoma de doenças crônicas começam a desaparecer.

Comentários