Como a EFT pode ajudar a anular o trauma

Problemas com relacionamentos? Autoestima? Dinheiro? Profissão? Saúde? Tudo isso pode ter como resposta os velhos traumas do passado.

Quem não está preso àquilo que gostaria de esquecer, mas que continua a pesar no coração? Trabalhar o trauma do passado é essencial para então dar um jeito no presente e por os pés no futuro.

No entanto, grande parte do trabalho das terapias tende a gastar muito tempo em conversa e análise, acreditando que isso por si só será capaz de amenizar o problema. A intenção é que ao se habituar ao trauma, isso faz com que ele se dissipe. Mas, na verdade, ocorre o contrário, isso tende a aumentá-lo.

Estou falando do trauma emocional que inflige danos neurológicos. Quando ele ocorre, ele se aloja em cada célula do corpo e por ali permanece. Como a memória tampouco está restrita ao cérebro apenas, mas se aloja igualmente nas células, toda vez que alguma situação semelhante ao trauma ocorre, o seu corpo passa pelo mesmo processo traumático. E aí está criada uma rede de emoções, bloqueios e sentimentos, nos prendendo cada vez mais.

Lembre-se, ainda carregamos o instinto animal: ao recebermos um ataque, nossa reação é lutar para vencer, ou sair correndo, ou, em alguns casos, se congelar e se retrair. Como na maioria das vezes não temos condições de vencer o inimigo e tampouco fugir, nossa reação mais comum é a retração. Os bloqueios de hoje são resultados de nossos congelamentos de traumas passados.

A qualquer evento que possa sutilmente lembrar o trauma, o cérebro, através dos neuro transmissores, envia hormônios de estresse, como o cortisol, que faz com que você volte a experimentar o mesmo sentimento de pavor.

É necessário mais do que a conversa e análise para romper esse ciclo. E como seria essa intervenção? Técnicas energéticas, como a EFT, ajudam a equilibrar o corpo-mente produzindo hormônios antiestressantes e criando um novo caminho aos neuro transmissores. Dessa maneira, o corpo acaba com seu estado traumático e está pronto para uma nova ressignificação.

Quando aplicamos a EFT em um trauma, devemos testar a cada passo onde, no corpo, está o sentimento do trauma. Com isso, vai-se limpando do corpo todo o estresse e por fim experimenta-se a liberdade do trauma. A EFT é uma intervenção neurológica e já se comprovou que, ao aplica-la, os níveis de cortisol abaixam drasticamente.

Por ser uma técnica muito suave, a EFT pode ser auto aplicada, mesmo em casos de trauma. Como? Não se preocupe com frases a dizer, apenas foque na situação ou lembrança e faça o toque nos pontos: Ao experimentar a mesma sensação traumática enquanto se faz a EFT, ocorre a redução do nível de cortisol e o cérebro escolhe um novo caminho de agir e pensar.

Portanto, você mesmo(a) pode fazer a EFT com o objetivo de tratar um trauma. Lógico que para efeitos mais rápidos, o melhor é trabalhar o trauma com a ajuda de um facilitador, no caso, um terapeuta de EFT. De qualquer modo, ao aplicar a EFT, já se inicia então uma mudança, tenha ela resultado rápido ou não.

O importante ao se trabalhar o trauma é lembrar-se de vários detalhes do momento que ele se instalou em seu corpo. Ele está impregnado na memória. Portanto, certos detalhes do momento, certos aspectos da cena, do cheiro, da luz, etc. podem estar traumatizados. O ideal é fazer a EFT para limpar cada um desses aspectos. Uma cena específica pode ainda estar presa à mente, ou memória. De modo geral é a cena mais chocante, que foi o ponto inicial do trauma. O importante é conseguir chegar até esse ponto, pois caso contrário, o trauma ainda persistirá.

E para casos onde o trauma se instalou devido a fatores contínuos, como, por exemplo, em uma sequência de abusos verbais mas não tão chocantes, é necessário também chegar a um ponto que se possa dizer qual é o fator inicial. Casos de traumatização por atitudes repetidas criam conceitos e crenças limitantes. Digamos, por exemplo, que em sua infância seus pais ou superiores falaram diversas vezes que você não servia para nada.  Isso cria em você a crença de que você sempre será um fracasso, condicionando-o(a) para a vida toda.

Pode-se limpar essas crenças ocasionadas por traumas com a EFT também. Vasculhando um pouco, encontra-se sempre um ponto inicial chocante, onde o trauma, na forma dessa crença, tenha se instalado. Pode ser uma palavra, um sinal, um sentimento, etc.

Como começar?

Pode-se fazer uma lista de todos os traumas (os pequenos e os grandes). Não importa se a lista seja extensa. Não se preocupe. Para isso existe o PPP (Procedimento Pessoal para a Paz). Veja maiores detalhes aqui nesse link.

No início pode parecer desencorajador: você vai listar todos os maus momentos e traumas de sua vida! Mas não adianta agora tentar dar algum alento, dizendo frases positivas. As afirmações positivas virão mais tarde. No momento, é importante limpar a base e a ressignificação, com seu lado positivo, virá no momento certo.

Você tem uma lista muito grande? É desanimador? Não se preocupe, pois ao fazer a EFT para algumas delas apenas, muitos itens da lista irão desaparecer, pois são apenas aspectos dos traumas mais fortes. Em pouco tempo, você poderá estar livre das experiências passadas.

Ainda com receio de começar? É natural, pois temos muito medo de abrir a caixa do problema. Ele pode explodir. Porém, mantê-lo sob pressão não ajudará em nada. Pelo contrário, isso só causa doenças.

O interessante é que, com a EFT, pode-se abrir esse trauma sem que ele exploda. De uma maneira suave e sem dor. Eu aconselho a ir fundo e trabalhar nesses traumas. Posso dizer isso por experiência própria. Vale a pena!

Comentários