Incluída no protocolo da EFT, está a frase: Eu me amo e me aceito profunda e completamente. O quanto isso faz sentido para nós? Ou será que apenas falamos da boca para fora?   A parte mais importante do processo de cura na EFT (e de qualquer outra terapia) é a aceitação de si próprio, apesar dos problemas. No entanto, como argumento, encontramos o velho dilema: Como eu posso me aceitar se eu tenho esse problema? Principalmente porque a interpretação do termo “aceitar” quer dizer “abaixar a cabeça”, se entregar ao problema e não lutar contra ele. E, se eu não lutar, vou continuar com o problema, sem resolvê-lo. Se me aceitar, estarei sendo condizente com minha situação atual. Eu não me conformo com o que acontece e daí a resistência. O meu conflito é que eu quero e preciso resolver a situação, e para isso eu preciso lutar comigo mesmo(a), o que é bem diferente de ficar me aceitando! Para botar mais lenha na fogueira, é forte o conceito de ver uma solução bastante diferente para aquilo que está acontecendo de fato. E ainda mais, eu persisto em querer resolver a situação do modo que eu penso que deve ser e jamais aceitar-me com ela. Por ironia, o contrário seria o certo: no momento que eu me aceito, apesar do problema, eu rompo a barreira de minha auto resistência e posso assim deixar que as coisas fluam naturalmente. É como se eu desarmasse o inimigo, e o problema se torna insignificante. Quando aceito um desafio, então tenho mais forças para superá-lo. O bom resultado virá da aceitação ao desafio e não da negação dele. Será que eu consigo me aceitar? O conceito falso é que se eu me aceito como eu sou, estarei abandonando a luta e deixando para trás o que quero consertar em mim. Muitos de nós aprendemos assim: aceitar o que acontece na vida é sinal de fraqueza e derrota. E se eu pudesse me aceitar, mesmo tendo esse problema? Apesar de ainda não enxergar esse fato óbvio, eu estaria dando o melhor presente para mim mesmo(a). O próprio Jung já dizia que não se pode mudar nada enquanto não houver a aceitação. Portanto, aceite-se para começar a mudança. Em outras palavras, ao falar essa frase no início da EFT, eu reconheço que tenho o problema e que ainda assim eu continuo me aceitando apesar disso. Ou seja, que eu sou uma pessoa legal, apesar de ter esse problema ou de ter cometido esse erro, por exemplo. Não será a negação de si e tampouco um pensamento positivo que irão resolver o problema. Apenas a visão realista da situação é que poderá trazer um bom resultado. Aceitar-me com clareza apesar de tudo o que está acontecendo em minha vida é o começo do sucesso para se resolver a questão. A mudança verdadeira ocorre ao me aceitar a partir do estado em que me encontro agora. A EFT é uma técnica muito simples. E deve ser simples, também, a auto aceitação apesar de algum problema. E se, mesmo depois de tudo isso, eu ainda encontrar resistência em me aceitar? Um caminho simples seria modificar um pouco essa frase de aceitação: Mesmo que eu tenha (esse problema), eu procuro um jeito de me aceitar de qualquer modo. Esse jogo de palavras ajuda a resolver a questão na maioria das vezes. No entanto, se houver um problema mais sério de autoestima muito baixa, onde o amor próprio e a auto valorização estão um tanto débeis, deve-se trabalhar mais a fundo, tentando reconstruir valores. Mas nada que a EFT não possa ajudar. Com um pouco de persistência e clareza, é possível voltar a brilhar aquele diamante que existe em cada um. E quanto mais forte estiver esse brilho, mais fácil será resolver o problema: Mesmo que eu tenha (esse problema), eu me aceito como eu sou, afinal eu sei que sou um verdadeiro diamante!
Facebook Comments Box
Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *