Será que estou fazendo a EFT de maneira certa? 1 Você me pergunta se deve usar alguns pontos mais específicos para a artrose, no caso em algum ponto relacionado ao joelho. Você não precisa fazer os toques em outros pontos além daqueles normalmente usados. Por quê? Eles são pontos terminais de cada meridiano que passa pelo corpo. Ao fazer esses toques nesses pontos, existe um reequilíbrio energético, incrementando a produção de serotonina e ajudando no equilíbrio do cortisol. Isso é essencial para restabelecer a saúde e a cura, independente de sua natureza. Há algumas diferentes maneiras de abordar a técnica em sua aplicação: 1. Pode-se fazer a EFT para os sintomas físicos. Por exemplo, para uma dor de cabeça. Isso tende a aliviar ou anular a dor. Mas também tende a ser paliativo. Algumas vezes, no entanto, ao eliminarmos o sintoma, estamos atuando também na causa (o sintoma é um reflexo da emoção, que é um reflexo do problema). Por isso, não descartamos a aplicação para os sintomas, ao mesmo tempo em que não deve ser a única maneira de se fazer a EFT. 2. Pode-se aplicar a EFT para os sentimentos. O que você sente em relação ao problema? Isso pode variar em um leque de emoções, como irritação, falta de auto aceitação, impaciência, etc. 3. E, por fim, pode-se aplicar a EFT para qualquer incidente traumático que possa ter causado o desequilíbrio e consequentemente a doença em si. Por isso, é sempre importante saber o que acontecia em sua vida na época ou um pouco anterior à época que surgiu o problema. Tendo falado isso, fica claro que dificilmente teremos sucesso na aplicação da EFT quando abordamos apenas a “doença”  em si.  No caso, fazer a EFT para uma artrose não vai significar muito para seu inconsciente. Artrose é apenas o nome de uma doença. Mas eu sugiro, e muito, fazer a EFT como um todo, e em especial tentar abordar as três áreas relatadas acima. E o resultado virá. O que não posso afirmar é quando. Em muitos casos o alivio é imediato, em outros, tem-se que trabalhar mais tempo. No seu caso, como você está convalescendo, a EFT é ótima para trazer melhor serenidade e consequentemente uma cura mais rápida. Mas é como eu sempre digo: a EFT não cura! Assim como nenhuma técnica ou ferramenta cura. A EFT é um instrumento para o auto equilíbrio necessário para que então haja a auto cura. Será que estou fazendo a EFT de maneira certa? 2 De um modo geral, o que você está fazendo é certo: listar todos os eventos traumáticos que possam ter causado o seu problema emocional! E depois trabalhar em cada um desses eventos. Cedo ou tarde, tudo se esclarece e seu problema já está resolvido. Mas duas coisas me chamam a atenção: – Você diz que faz a EFT durante duas horas ou mais por dia. Isso pode ser muito extenuante. – Você diz que sua vida agora se resume a tratar exclusivamente o problema, e nada mais. Mas isso pode ser contra producente. Lógico que o mais importante é você cuidar da saúde, e se ela está fragilizada, deve-se dar atenção máxima ao caso. Mas, se sua atenção está em resolver o problema, isso em si já é uma imposição muito grande, o que vai acarretar mais ansiedade ainda. É por isso que na EFT nós abordamos o problema de maneira diferente: “Mesmo que eu tenha esse problema, eu me aceito assim mesmo.” Em outras palavras, é dizer para si mesmo que você tem o problema e que ainda assim você é uma pessoa legal e que vai continuar a vida assim mesmo. Creio que isso seja um ponto crucial em todo o trabalho de cura. Outro ponto importante a entender, também, é que nossas reações (no seu caso, o seu quadro de ansiedade) são reflexos do inconsciente. O inconsciente acha, por razões ilógicas dele, que o mais seguro para você é ter essa reação (ou seja, o seu problema, ansiedade), para protegê-lo. Achar o fio da meada nisso é conseguir chegar ao inconsciente e dar a mensagem que: tá legal e seguro eu ficar tranquilo, quando me relaciono com certas pessoas ou no mundo em geral. Fazer a EFT para os inúmeros eventos e situações com essa ou aquela pessoa pode ajudar a dar esse clique no inconsciente, mas o importante é essa mensagem. Por isso, tente fazer a EFT focando em certos momentos de ansiedade, provocados por inúmeras razões, e diga: “Mesmo que eu esteja me sentindo assim, por causa disso… etc.,  eu ainda assim me amo, continuo minha vida e escolho poder dizer ao meu inconsciente que está seguro agora eu ficar tranquilo, que essa ansiedade me serviu até agora a me proteger de algo que eu ainda não tenho claro o que é, mas que eu sei que posso viver sem essa atitude, pois é seguro eu viver sem esse problema.” Fale essa frase com suas próprias palavras e veja o que sente. Sente que é possível mesmo você se livrar desse medo? Ou ainda tem medo de se livrar desse medo? Se você se sentir bem, ótimo, então faça dessa maneira, isso pode ajudar. E, também, imagine você vivendo sua vida normal, mesmo tendo esse problema. Dá para aceitar?  Entendo que quando se está em ansiedade, o mundo parece horrível, por isso seria difícil aceitar. Mas a ideia é: mesmo que eu tenha esse problema, eu ainda assim sou uma pessoa. Outro ponto importante é que esse seu problema possa estar existindo exatamente para você não encarar algum outro problema. São os ganhos secundários. Você diz que está sem fazer nada, e usa seu tempo apenas para resolver esse problema. Talvez em seu inconsciente você queira manter esse problema exatamente para continuar assim, sem fazer nada, pois pode ser que assim não precisa encarar a vida. Parece ilógico isso, mas entenda que o inconsciente trabalha de maneira ilógica.
Facebook Comments Box
Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *