Pode ser que você se ache: “que está tudo errado” ou “muito triste” ou “eu não sou bom/boa como gostaria de ser” ou “não consigo me encaixar” ou “eu não estou legal” ou, ou, ou… Existem inúmeras razões de nos achar abaixo do que achamos que seria o ideal. No fundo, tudo isso é muito relativo, para não dizer invenção de nossa própria cabeça, influenciada pela pressão da sociedade. Mas o fato é que sofremos por isso. No entanto, tentar resolver o problema com a razão, dizendo que tudo é invenção mental e que basta algumas afirmações positivas, não é o caso. Como começamos? O primeiro passo é tirar a resistência. O que consideramos um problema, na verdade não é o problema em si. O pior é a falta de aceitação e resistência que criamos a respeito. Portanto, comece aceitando-se a si próprio(a), “apesar de se sentir dessa maneira”! Difícil? Com certeza, pois o maior problema da autoestima baixa é a falta de aceitação e amor próprio. Lembre-se, é sempre bom enfatizar a importância em se aceitar, e dizer, durante a EFT, de maneira clara e enfática: “eu me amo e me aceito total e completamente!”. Se você acha que está falando apenas da boca para fora, sem de fato sentir que seja verdade, então comece o exercício da EFT para a finalidade de se aceitar e se amar (apesar desse problema de autoestima). Vamos ao exercício? Ponto do caratê: Apesar dessa minha dificuldade em me aceitar (lógico, tem tanta coisa errada comigo!), eu ainda assim procuro me aceitar e me amar da maneira como sou. Mesmo que eu veja tantos erros em mim, eu me aceito, ou melhor, procuro me aceitar total e completamente. Mesmo que seja difícil me aceitar assim e confiar em mim, estou aberto(a) a me aceitar de qualquer modo. Sobrancelha: Eu tenho esse problema de me aceitar Lado do olho: A autoestima muito baixa Embaixo do olho: Lógico, tem tanta coisa errada na minha vida Embaixo do Nariz: E eu não consigo consertá-la Queixo: Como posso me aceitar assim? Clavícula: Vejo os outros, tão bem! Embaixo do braço: E eu? Nesse buraco Em cima da cabeça: É difícil eu me aceitar assim Sobrancelha: Imagino o que os outros pensam de mim Lado do olho: Eu próprio penso mal de mim Embaixo do olho: Tem tanta gente melhor do que eu Embaixo do Nariz: Eu não consigo me encaixar nessa vida Queixo: Não consigo resolver meus problemas Clavícula: Como eu posso ficar legal com isso e me aceitar? Embaixo do braço: Me sinto lá em baixo Em cima da cabeça: Será que eu confio em mim mesmo(a)? Sobrancelha: Se eu tivesse um pouco de autoestima, tudo poderia ser diferente Lado do olho: Se eu tivesse melhor autoestima, eu poderia mudar minha vida Embaixo do olho: Mas acho que eu tenho medo disso Embaixo do Nariz: Acho que nasci para ficar reclamando da vida Queixo: E me achar inferior aos outros Clavícula: E se eu começasse a mudar meu ponto de vista? Embaixo do braço: Mas como? Sinto tanta fraqueza Em cima da cabeça: Daria para eu me aceitar dessa maneira? Sobrancelha: E se eu tentasse me aceitar assim mesmo? Lado do olho: Mesmo com minhas fraquezas, eu escolho me aceitar como eu sou Embaixo do olho: Aí não haveria mais resistência Embaixo do Nariz: E tudo poderia fluir melhor Queixo: Se eu pudesse parar de me rejeitar… Clavícula: Mesmo que seja difícil para mim Embaixo do braço: principalmente se me comparo com outras pessoas Em cima da cabeça: ainda assim, eu escolho poder me aceitar e me amar Sobrancelha: E se eu parasse de me sentir assim? Lado do olho: Se pudesse me aceitar sem essa autocrítica tão pesada Embaixo do olho: E me visse no mundo de outra forma Embaixo do Nariz: Eu poderia tentar Queixo: Seria incrível se eu pudesse tentar Clavícula: E imagina se eu conseguisse? Embaixo do braço: Na verdade, a vida é sempre uma consequência de erros e consertos Em cima da cabeça: E escolho tentar agora e estou aberto a essa minha “nova vida”   NOTA: Essas frases são um exemplo e podem muito bem não se encaixar com sua realidade. Tente fazer o exercício, mas fique atento(a) para o que vier à sua cabeça durante o procedimento: novos conceitos, lembranças que justifiquem seu pensamento atual, crenças limitantes e até insights. O melhor é anotar enquanto você faz o exercício, assim você não se esquece. E continue a rodada com frases novas a partir do que você escreveu. Desejo todo o sucesso!
Facebook Comments Box
Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *