Quem não se pega, vez ou outra, com a mente divagando? E ao invés de terminar um trabalho ou estudo, fica surfando pelo youtube ou pelas mídias sociais?

Pode-se chamar esse bloqueio de procrastinação. O fato é que não conseguimos terminar uma tarefa, ou até mesmo não conseguimos nos concentrar nela, pois nos sentimos cansados.

E no primeiro alerta de uma mente cansada, já pisamos o pé no freio e queremos descansar. Ou, pior, recorremos a algum medicamento para nos deixar mais ativo, ou consumimos algum energético ou alguma droga.

Na maioria das vezes, isso não nos ajuda. Você pode ir descansar durante umas férias mais que bem merecidas, e, no entanto, ao voltar à rotina, você pode sentir novamente os sintomas da falta de concentração e foco.

E por quê? Porque precisamos tirar do inconsciente aquele bloqueio energético que não nos deixa relaxar. E sem esse relaxamento, nos falta maior clareza para um bom foco ou concentração.

Queremos maior clareza de propósito e só conseguimos divagação. Talvez o pior de tudo é a cobrança que surge daí. Queremos maior concentração para terminar um trabalho ou estudo e só conseguimos horas e horas desperdiçadas diante da TV ou do celular.

Isso não nos agrada e começamos a nos culpar. O resultado só pode ser pior.

Como podemos ter melhor concentração e foco? Como podemos ter o desempenho de um atleta profissional?

É sabido que os atletas, ou qualquer outro profissional bem sucedido, primam pelo que é chamado de um bom desempenho, ou peak performance.

E a EFT, as técnicas de libertação emocional, pode ajudar muito nesse processo. Isso porque ao praticarmos a EFT, nós diminuímos o nível de estresse e cortisol. A EFT libera novamente o fluxo energético e cria novos caminhos neurais trazendo maior clareza e liberdade para agir.

Em uma pesquisa feita por uma universidade nos Estados Unidos, reuniram-se doze jogadores profissionais de basquete. Primeiro mediu-se a média individual de acerto no cesto. Depois, dividiu-se o grupo em dois.

Os primeiros seis jogadores fizeram a EFT buscando melhor foco e aliviando os seus medos e estresse. Os outros seis jogadores fizeram uma técnica fictícia.

O resultado foi o esperado: quem fez a técnica fictícia continuou com a mesma média de acerto ao cesto, enquanto que os jogadores que praticaram a EFT tiveram, em média, 18% de aumento no acerto ao cesto. Uma ótima vitória a esses atletas e uma grande prova da eficácia da EFT.

Convido você a praticar esse exercício me seguindo no vídeo, trazendo assim maior clareza e concentração em sua vida.

 

Facebook Comments